O Jogo

Há alguns anos, uma moça me ensinou o jogo de esquecer. Nele existe apenas uma regra: você vive sua vida como quiser, mas caso se recorde em algum momento da existência do jogo, você perde. Esse é um passatempo perigoso, porque uma vez que a pessoa entra nele, não tem como sair da brincadeira. Caso ela se recorde do jogo, ela perde e começa outra vez.

 

Outro aspecto complicado é que não tem como saber ao certo se a partida foi vencida. É que muitas vezes a gente tem a impressão de que algo nunca mais vai voltar, até que volta. Isso pode ser bom e pode ser ruim. É engraçado porque agora existem combinações, e algumas delas são bem estranhas. Existem coisas boas que gostaríamos que voltassem; existem coisas ruins que acharíamos melhor se ficassem longe; também existem coisas positivas que torcemos para que não retornem, e ainda existem coisas negativas que ansiamos pelo regresso.

 

Até agora escrevi sobre aquilo que volta, mas também podemos falar sobre o comportamento de se esquecer. Essa brincadeira de desaprender não tem natureza boa ou ruim. Às vezes é tão construtivo a gente deixar de carregar algo; em outros momentos isso que foi largado pode vir a fazer falta. Quem tenta trazer tudo consigo tem uma dor de cabeça danada. Ao mesmo tempo, não se lembrar de nada é doença e tem nome.

 

Talvez seja interessante aceitar aquilo que volta, independente de ser algo agradável ou não, e tentar aprender com o seu retorno. Se for embora outra vez, também faz parte. Acho que é por isso que o jogo que a vespa me mostrou é tão difícil. Na brincaeira dela, a gente perde caso se lembre. Perde por que?

 

trilho

Créditos da imagem: quicksandala – Endereço: http://mrg.bz/e7cac3

Anúncios

Cabeça de Macaco

Na minha cabeça mora um macaco, que fica lá, pulando de galho em galho, e não pára quieto. Ele fica bem no alto, dependurado, dando uns berros, jogando bosta em mim. Quando me sento em silêncio, fico bem imóvel, e deixo o mico solto. Fico aqui, sentado, e ele fica lá, fazendo as macaquices dele. Talvez uma hora ele se canse e vá dormir. Mas o ideal, o mais adequado mesmo, é que, em algum momento, ele enjoe de não parar quieto, e se sente comigo.

monkey.jpg

Crédito da Imagem: BryanHanson Endereço: http://mrg.bz/ZNHQQg

O que sei sobre as geladeiras

Pra mim, o trabalho das geladeiras é serem frias. Elas atuam em turnos: durante o exercício, se esfriam. Já na hora do descanso, dormem e se esquentam. É preciso haver algum isolamento, pra dificultar a passagem de calor do meio para seu interior. As geladeiras geralmente são claras por fora e escuras por dentro. No entanto, quando abrimos a porta, elas se iluminam. Para se ocuparem, as geladeiras consomem energia. Elas se esforçam em retirar o aquecimento de dentro de si e jogar pro mundo. E pra gente isso é bom, porque com isso conservam aquilo que nos alimenta.

refrigerator

Crédito da imagem: MGDboston   Endereço: http://mrg.bz/1af1de

Internet

(Plágio de Titãs por Rodrigo Modenesi)

A internet me deixou burro, muito burro demais

Agora todas coisas que eu penso me parecem iguais
O sorvete me deixou gripado pelo resto da vida
E agora toda noite quando deito é boa noite, queridaOh Cride, fala pra mãe
Que eu nunca li num livro que o espirro fosse um vírus sem cura
Vê se me entende pelo menos uma vez criatura
Oh Cride, fala pra mãe

A mãe diz pra eu fazer alguma coisa, mas eu não faço nada
A luz do sol me incomoda, então deixa a cortina fechada
É que a internet me deixou burro, muito burro demais
E agora eu vivo dentro dessa jaula junto dos animais

Oh Cride, fala pra mãe
Que tudo que o wifi captar meu coração captura
Vê se me entende pelo menos uma vez criatura
Oh Cride, fala pra mãe

A mãe diz pra eu fazer alguma coisa, mas eu não faço nada
A luz do sol me incomoda, então deixa a cortina fechada
É que a internet me deixou burro, muito burro demais
E agora eu vivo dentro dessa jaula junto dos animais

E eu digo: Oh Cride, fala pra mãe
Que tudo que o wifi captar meu coração captura
Vê se me entende pelo menos uma vez criatura
Oh Cride, fala pra mãe

cyberspace

Crédito da Imagem: Emlyn – http://mrg.bz/f2e0af

Considerações sobre minha prática pessoal: #1 e 2

ATENÇÂO: Com esse post não tenho a intenção de tecer verdades ou convencer ninguém de qualquer coisa. Quero apenas descrever dúvidas, dificuldades e conclusões que venho obtido com minha prática pessoal de espiritualidade. Encorajo todos a seguirem seus próprios caminhos e chegarem às próprias conclusões. Outra coisa, meus pensamentos podem mudar e me coloco completamente livre para me “contradizer” no futuro, seja daqui a 5 anos ou daqui a 5 minutos. Dito isso, Vamos às considerações:

#1: Já há alguns anos, venho encarado a meditação sentada (Zazen, no meu caso) como uma resposta para as questões da Insatisfação, Sofrimento e Conforto/Desconforto. Uma dificuldade que venho encontrado, no entanto é que, com uma prática diária, muitas vezes a insatisfação se ausenta. O problema é que, evolutivamente, a Insatisfação É um motor para a mudança e para se perseguir novas conquistas. Não acredito que seja o único motor; a alternativa seria o Despertar: fazer as coisas pelo próprio fazer, sem julgamentos e sem a tentativa de se agarrar/de se afastar delas. Só que eu estou longe do Despertar! E sem a Insatisfação, muitas vezes outros aspectos da minha vida (aspectos que não dizem respeito a essas três questões) ficam às vezes “sem um motor”. Tendo observado isso, apesar de reconhecer o ganho que a prática meditativa me traz, muitas vezes deixo conscientemente de me sentar em Zazen.. é como se (pelo menos até agora) um pouco de insatisfação e estresse continuassem necessários. Estou satisfeito, no entanto, com o caminho que venho seguido, e fica a (longínqua) esperança de que um dia eu possa ser movido por um motor diferente daquele da Insatisfação.   🙂

#2: Em uma observação mais besta, é interessante como nas vezes em que me sento e em que ocorre muita atividade intelectual, o tempo custa a passar. Já quando há maiores intervalos de “atenção plena”, o tempo passa num piscar de olhos. Por enquanto isso é só mesmo uma observação, ainda não tenho nenhuma conclusão a respeito.  xDzazen

Um blog sobre palavras que aparecem de vez em quando e que vou colocando uma depois da outra. Tem umas figuras também.